terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Exercício de causar

Crédito da foto: Fernando Quevedo - O Globo (Praia à noite, nova mania entre os cariocas)

Eu fiz as pazes com meu equilíbrio e senso crítico. A alegria já estava presente desde do ano passado, ela nunca me abandonou, mesmo nos momentos mais chatos.

Estou me transformando diariamente, mas esta mudança atual está boa demais.

O carnaval está aí, já coloquei meu bloco na rua. Fazia tempo que não brincava carnaval. Promessa para cumprir: curtir o carnaval de 2010, compensando o de 2009 que eu estava com o braço quebrado e de molho.

"Será que chove? Não importa, eu sou empolga às 9."

Sexta, sábado, domingo e segunda causando. Sexta no ensaio do bloco tradicionalíssimo, Bola Preta, sábado aniversário de um amigo no Clube Democráticos com a Orquestra Republicana, na Lapa. Encontrei vários queridos e dancei bastante.

Agora domingo, merece um capítulo à parte, fui no ensaio do bloco Empolga às 9, na Praia de Ipanema. Acho que nunca me acabei tanto na minha vida. Depois fiquei até 2 da manhã no Arpoador, porque a moda do carnaval carioca de 2010 é tomar banho de lua.

P.S.: Como diz o coleguinha Joaquim Ferreira dos Santos, à noite é praia com photoshop, sem estrias e celulites tão evidentes com os raios solares.

E segunda, saí com um amigo pra continuar no clima de Momo.

3 comentários:

Marina disse...

Já to brincando carnaval desde duas semanas atrás. É só ter com quem brincar que qualquer bloco serve.

Ótimo carnaval pra você, Lu!

Alicinha disse...

deliciaaa

Se7e/5 disse...

"Mãe de um feto violado, afirma sua inocência e prova que a agulha de tricô indiciada como arma do crime não correspondia ao número da embalagem. Abortilda Semedo, afirmou que vai processar a fábrica de agulhas pelo incidente que está provocando todos os problemas vividos actualmente com a justiça e opinião pública. Numa primeira justificação, ainda a quente, logo após o parto, a alegada violadora, confessou que tudo aconteceu quando estava tricotando uma camisolinha de seda para o seu pequenino rottweiler de 2 aninhos, já que ela costumava trabalhar nuinha e com as pernas bem abertas, só que nessa vez, incompreensivelmente, uma das agulhas escapou para dentro da vagina. “Eu achei muito estranho, mas não liguei e se não fosse um cliente a queixar-se que tinha sido mordido..."
O restinho? nã, nã... só no Se7e!