quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Exercício de trair


Cada dia que passo mas acho raro as pessoas fiéis no relacionamento amoroso. Tem umas que não tem um pingo também de lealdade. Traem como se fosse algo intríseco do desejo humano. Como se não houvesse escolha.

Como sou curiosa (coisas da profissão) acabo perguntando aos conhecidos a motivação da traição. O que mais me choca é que todos estão muito bem nos seus relacionamentos. Na maioria da situações as pessoas tem meses de casados e acha tudo muito normal e natural.

Acho que sou parente da personagem Polyana, pois acredito num mundo que as pessoas não sente necessidade de trair quando as relações amorosas vão bem, obrigado. O desejo carnal pode até existir, porque somos bichos. Mas como também somos dotados de coisas além do instinto temos escolhas que não partem somente dos nossos impulsos sexuais. Temos a escolha de trair ou não, seguindo um desejo ou não, pesando as consequências desse ato.

Estar ao lado de alguém é pensar neste como outro como se ser fosse vc mesmo. Não fazer com o outro o que não gostaria que fizesse com você mesmo. Porque meus conhecidos, gostam de trair, mas ficam umas feras quando são traídos. Que pessoal mais egoísta.

Eu tive uma namorado que compulsivamente me traía. Óbvio que o namoro não durou muito tempo. Hoje sei que ele está muito feliz com sua esposa, num casamento de longa duração, com relacionamento aberto. Ele descobriu o caminho para ser mais verdadeiro nas relações. Espero que meus conhecidos também descubram que trair é: enganar, viver uma mentira. E espero que aprendam os benefícios de ter uma relação onde a lealdade, respeito, consideração e responsabilidade sejam os princípios básicos.

Um comentário:

Freda disse...

Tbem tenho pensado mto em traição, como é dificil ne, confiar. Sabendo que nossos amores estão sempre "desprotegidos" por ai, nesta selva cruel de mulheres dadas e desesperadas!!!
bjosss
Fre
www.vidapassadaalimpo.blogger.com.br