quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Nudez

Li na internet o desabafo do ator Pedro Cardoso em relação a vulgarização da nudez – íntegra aqui.

Concordei com quase tudo no texto do Pedro Cardoso. Porém quando um ator ou atriz ficam nus no seu ofício eles ainda estão vestidos do personagem.Um filme que vi recentemente e que a atriz passa todo filme nua é o Nome próprio. Ali eu não vi a Leandra Leal. Eu vi todo o momento sua personagem e sei como era importante para a personagem a atriz estar nua.

O erotismo, o sexo, o nu também fazem parte da nossa vida e acho normal serem retratados no cinema e no teatro. Mas tudo depende do contexto de como ele é apresentado. O nu como apelo midiático deve dar uma sensação para o ator como venda do seu corpo. E nisso o Pedro tem razão.

Mas não podemos ignorar a imagem erótica vinculada ao brasileiro, principalmente as brasileiras. Como não retratar isto na arte? O cuidado é de como tratar este assunto.

Finalizo com uma citação de uma música de Chico Buarque: “Não existe pecado do lado de baixo do Equador…”

Darlene Glória, musa do cinema nacional, interpretando
Geni no filme "Toda nudez será castigada", de Arnaldo Jabor,
inspirada em peça homônima de Nelson Rodrigues.

2 comentários:

Leonardo disse...

Mais um que ainda não vi. Acho que estou precisando ir ao cinema né?

Obrigado pela visita!

Bjs

Eu disse...

Eu não vi o filme "Toda nudez será castigada" mas achei pertinente colocar cartaz deste filme sobre esta pôlemica do Pedro Cardoso.

Para mim a nudez faz parte do ofício de atuar, por isso fiz uma associação entre o nome da peça/filme.

A nossa sociedade é muito hipócrita e Nelson Rodrigues retrata isso muito bem.

Eu